Share
ShareSidebar


Está cada vez mais difícil




O caderno cheio de pequenos fragmentos
(não quero isto grande. não serei longo. curto)
imaginei-te num pequeno relógio que tenho no corredor. O som marcado, mecânico e as verdades todas a baterem no corpo.
Sei que vou repetir tudo,
deus me livre de amar,
mas vou repetir tudo.
As horas ali e eu ?
fragmentos, fragmentos, fragmentos

Se partir aquela porcaria velha ...
se partir todas as porcarias velhas e for para uma terra sem nome ...
se tatuar um cadeado nos lábios e erguer um forte no peito ou terminar com o ideal será que vais ?
(suspiro. viro as costas. abafo o som)
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

bruno barros disse...

Tens que pensar que o relógio um dia vai ser o teu melhor amigo e essas verdades não te vão sulcar mais :)


ABRAÇO

Matt Córdoba disse...

Enigmático, como sempre. Nada melhor que o tempo para nos ensinar a lidar com as verdades, não é?

Até mais!